Skip links

Como escolher o terreno certo para a construção de uma casa ecológica?

A arquitectura sustentável consiste sobretudo em integrar e adaptar a casa ao seu ambiente, e não o contrário. O terreno e o seu ambiente são, portanto, elementos-chave no desenvolvimento de um projecto de construção ecológica. É de facto essencial ter em conta, desde a fase de concepção da casa, as restrições relacionadas ao terreno. Aqui estão as nossas recomendações para escolher o terreno certo para construir a sua casa sustentável.

Antes de mais, é necessário definir o seu projecto de construção: Trata-se de um projecto de construção passiva, ecológica ou bioclimática? Quer construir uma piscina biológica e/ou uma horta biológica? Estes elementos determinarão a área do terreno, para além da área de construção. 

Uma vez que o projecto está definido, há quatro pontos principais a ter em conta na escolha do seu terreno:

  • O clima: As recomendações a respeitar estabelecidas por institutos de certificação como Passivhaus Institute, serão diferentes dependendo do clima. Dependendo da área e portanto do clima escolhido (por exemplo, um clima frio para a Suécia, um clima temperado para a França ou um clima quente para Portugal), os níveis dos critérios de construção (para janelas, isolamento, etc.) não serão iguais. Note-se que a proximidade de um rio ou do mar irá alterar as condições climáticas locais.
  • As condições meteorológicas e orientação do terreno: A exposição aos ventos dominantes e ao sol desempenhará um papel importante na disposição das divisões da casa. É portanto necessário escolher um terreno cuja orientação ofereça o melhor conforto de vida aos seus ocupantes. Em Portugal, recomenda-se que a abertura de terreno (com uma vista desafogada) esteja virada para sudoeste, de modo a que a sala possa ser ali localizada para maximizar o ganho solar passivo.
  • A vegetação: Em Portugal, especialmente no Sul, é essencial evitar o sobreaquecimento no Verão. Existe instalações para contrariar isto (sombreamentos, persianas ajustáveis,…), mas é possível aproveitar a vegetação do local, com a presença de árvores de folha caduca, por exemplo, que regularão naturalmente a temperatura no Verão e deixarão passar a luz e o sol no Inverno. A ideia é utilizar os recursos naturais para melhorar o conforto interior. 
  • As perturbações circundantes: O carácter ecológico de um projecto de construção não se limita à concepção do habitat. É importante ter em conta o ruído e os incómodos visuais, tais como a presença de edifícios vizinhos que irão criar máscaras solares. É também aconselhável realizar uma avaliação de poluição do solo, especialmente se desejar criar uma horta. 

Antes de comprar o terreno, é fortemente aconselhável consultar o Plano Diretor Municipal (PDM) na Câmara Municipal, a fim de ter a certeza de que o terreno é de facto construtível e ter conhecimento dos potenciais projectos ao redor. É também necessário conhecer as regras locais (zonas protegidas, parques naturais, plano de proteção à floresta…), que podem restringir fortemente um projecto de construção. Uma vez escolhido o terreno e realizado o levantamento topográfico, o arquitecto definirá o local e a melhor orientação para construir a casa dos seus sonhos. 

Gostaria de saber mais sobre a construção sustentável em Portugal? Faça o download gratuito do nosso white paper!

Leave a comment