Skip links

A cortiça no sector da construção sustentável

Material ecológico e sustentável, a cortiça não se destina apenas a acabar como uma rolha. Graças às suas muitas vantagens, é um dos materiais da moda na concepção de uma casa ecológica. Do isolamento ao revestimento, descubra a cortiça em todas as suas formas!
Um património português 100% ecológico

A cortiça provém da casca do sobreiro, que se encontra em Portugal, bem como na bacia do Mediterrâneo. Graças ao seu clima favorável e ao seu know-how, Portugal tornou-se o maior produtor mundial de cortiça, representando 49% da produção mundial, segundo a Associação Portuguesa da Cortiça (APCOR).

A cortiça é considerada um material natural porque o descortiçamento, em outras palavras a acção de remover a casca da árvore, não implica o corte nem a sua danificação. A casca regenera-se naturalmente e é colhida aproximadamente a cada nove anos. Uma vez processada, a matéria-prima destina-se a ser comercializada de várias formas: como rolha ou como material de construção, decoração e design.

Um material de isolamento térmico e acústico de alto desempenho

Existem dois tipos de cortiça como isolamento, o aglomerado composto e o aglomerado de cortiça expandida. A diferença entre os dois reside no processo de transformação: a primeira requer a adição de aditivos para o ligante, que podem ser amigos do ambiente, enquanto que a segunda é a resina natural, a suberina, que é aquecida a alta temperatura para actuar como ligante. A cortiça expandida é comercializada sob a forma de placas ou grânulos. O aglomerado composto também está disponível sob a forma de placas ou rolos.

cortiça_expandida
Aglomerado de cortiça expandida © Amorim Cork Insulation

A cortiça pode então ser utilizada como isolamento acústico, anti-vibração ou isolamento térmico aplicado em paredes, telhados, fundações ou mesmo fachadas, no caso do aglomerado de cortiça expandida.

Este material de isolamento tem muitos benefícios: boa condutividade térmica, tempo de vida ilimitada, promove a boa qualidade do ar interior, resistente à água, insectos, roedores e excelente isolamento acústico.

A tendência da cortiça como revestimento

Considerado durante muito tempo como um material pouco atrativo, a cortiça está a fazer um grande regresso como elemento decorativo! 

Pode então ser utilizado como revestimento de chão, uma opção particularmente confortável graças, entre outras coisas, às suas qualidades isolantes. O pavimento de cortiça é fácil de cuidar e também dá um carácter quente ao espaço. Saudável e ecológica, pode ser uma boa escolha no caso de alergias respiratórias.

A cortiça também pode ser utilizada em paredes e traz um toque ecológico aos interiores. A tendência é, por exemplo, na parede da casa de banho, como elemento decorativo na cozinha ou na cabeceira da cama. No caso de revestimento de paredes, a cortiça pode ser encontrada sob a forma de placa.

revestimento_cortiça
Decorativo de paredes interiores © Amorim Cork Insulation

Enfim, a cortiça e o seu estilo amigo do ambiente chegam pela área do design, com a existência de marcas de mobiliário e acessórios decorativos de cortiça.

3 perguntas à Carlos Manuel Silva, CEO da empresa Amorim Cork Insulation, fabricante de isolamentos de cortiça expandida

Tenho a certeza de ter um isolamento 100% natural se optar pela cortiça expandida?

Utilizamos apenas cortiça (matéria prima natural e renovável), em processo industrial que consiste em pressão e temperatura, seguindo-se um período de estabilização dos blocos e mesmo aqui sem qualquer tipo de tratamento ou seja confirmação de que este aglomerado de cortiça expandida efetivamente 100% natural. De referir ainda o baixo consumo energético sendo 10% energia fóssil e 90% biomassa resultante do próprio processo.

A cortiça como revestimento decorativo pode ser considerado como um isolamento térmico adicional?

Mesmo no revestimento decorativo, as propriedades da cortiça não se alteram, ou seja funciona como material de isolamento térmico e excelente comportamento acústico.

De que forma é a cortiça expandida como isolamento adequado para a construção passiva?

Perfeitamente adequada no conceito de construção passiva, que para além de ser um material de excelentes características térmicas, praticamente sem alterações de performance quando sujeito a variações térmicas, acrescendo ainda a sua longevidade/durabilidade mantendo os níveis de eficácia. Existem imensas provas disso mesmo e no caso de construção passiva, conhecemos obras que datam de 1995, em clima rigoroso, onde o sistema com aglomerado de cortiça expandida, permanece perfeitamente intacto/eficiente. Outra nota a realçar, será o facto de após demolição do imóvel a cortiça pode ser reciclada e reutilizada na totalidade (temos exemplos de 50 anos em camaras frigorificas).

Gostaria de saber mais sobre a construção sustentável em Portugal? Faça o download gratuito do nosso white paper!

Photo: maja7777 on Pixabay

Leave a comment